Maputo Re-significa pátria e Cidadania a Partir de Samora

Samora Machel pensava no outro, depois em si. Inventou um sonho que o imaginava colectivo e nacional: a construção da pátria moçambicana. Dai o conceito de Homem Novo. Um homem novo assente na valorização da sua própria cultura. Afinal, como disse José Blaunde, um dos oradores, .“.. sem cultura não existe pessoa, não existe pátria, não existe nação”. Acrescentou dizendo que “O negativo em Samora deve ser analisado no contexto do movimento de construção da pátria moçambicana”.

Re-significar pátria e cidadania a partir do pensamento de Samora Machel é um ciclo de conferências a ser concretizadas em todas províncias do pais. Para Maputo, o ISARC – Instituto Superior de Artes e cultura foi palco nos dias 29 e 30 de Novembro último. A ideia é pensar sobre os ideais de Samora e re-significa-los para o contexto actual.

Machel

JOIN THE DISCUSSION