Inicio Literatura Vozes da Representação, Memórias do Teatro Moçambicano, Volume I

Vozes da Representação, Memórias do Teatro Moçambicano, Volume I

Benites Lucas José gosta e ama a arte de representar. Mas notou ausência de formas de memórias sobre seus fazedores, sobretudo na forma literária. Vai dai que embrenhou-se em pesquisas que duraram 3 anos, nos quais recolheu 42 depoimentos, escrevendo desta forma uma possível história do teatro moçambicano no seu primeiro volume para um intervalo de 51 anos, 1965 a 2016.

Benites encontrou as vozes da representação no Teatro Universitário de Moçambique, grupo criado em 1965, onde militaram Eunice Abreu e Ana Maria Branquinho; visitou o Grupo Cénico das FPLM, criado nas zonas libertadas do colono português onde militaram ilustres como Teodato Hungwana e Felício Zacarias, e nos dias que correm visitou diversos grupos onde encontrou actores e atrizes como Ana Magaia, Jaime Santos, Gilberto Mendes, Lucrécia Paco entre outros.

O objectivo da obra segundo o autor é registar a história do teatro nacional e divulgar as experiências desses intervenientes, criando desta forma um portifólio para que os investigadores e o público em geral possa ir lá buscar informação que achar útil.

O autor disse-nos ter sido um trabalho árduo, mas sente-se gratificado e encorajado a continuar. Explicou-nos que a I edição do livro de 500 exemplares encontrou uma boa receptividade por parte do público e tem sido procurado por diversos investigadores nacionais e estrangeiros preocupados em saber um pouco mais sobre o teatro moçambicano.

Vozes da Representação. Vol. I é acima de tudo uma forma dos moçambicanos dizerem o que deve ser feito com nossas memórias nas diversas áreas das nossas artes e cultura que muito carecem deste tipo de registos. Esperamos desta forma que o autor possa encontrar formas e meios para continuar sua missão no que diz respeito à preservação da memória cultural e artística desta pátria amada. Até porque só registando nossas memorias é possível valorizar e universalizar nossa cultura.

Subscreva-se e acompanhe todas notícias sobre cultura National

Coloque o seu e-mail abaixo para receber as últimas actualizações e promoções do nosso website.

Mais Lida

. O Camões – Centro Cultural Português em Maputo promove O Escritor do Mês de Junho é Luís de Camões (1524 – 1580)

. O Camões – Centro Cultural Português em Maputo promove, a partir de junho, no espaço da Biblioteca, a iniciativa Escritor do Mês, tendo...

Resgate, Um Filme Para Ver e Rever!

O filme emerge a partir de duas linhas narrativas. A primeira é a que segue as peripécias de um jovem caminhando por picadas e...

O Tempo dos Leopardos

O Tempo dos Leopardos A independência nacional fez nascer uma rica história do cinema moçambicano. Um cinema que foi ao encontro do cidadão ate ao...

Dia do CD do dia 26 de Maio conta com Texito Langa na cessão de Autógrafos

MIGHTY VIBRATION (Texito Langa) | domingo 26 de Maio | Dia do CD | no beergarden no jardim dos Madjerman nas esquinas Av. 24...

Related News

Vozes da Representação, Memórias do Teatro Moçambicano, Volume I

Benites Lucas José gosta e ama a arte de representar. Mas notou ausência de formas de memórias sobre seus fazedores, sobretudo na forma literária....

Resgate, Um Filme Para Ver e Rever!

O filme emerge a partir de duas linhas narrativas. A primeira é a que segue as peripécias de um jovem caminhando por picadas e...

O Tempo dos Leopardos

O Tempo dos Leopardos A independência nacional fez nascer uma rica história do cinema moçambicano. Um cinema que foi ao encontro do cidadão ate ao...

Dia do CD do dia 26 de Maio conta com Texito Langa na cessão de Autógrafos

MIGHTY VIBRATION (Texito Langa) | domingo 26 de Maio | Dia do CD | no beergarden no jardim dos Madjerman nas esquinas Av. 24...

Centro Cultural Português em Maputo dedica o mês de março ao premiado escritor português Gonçalo M. Tavares.

No âmbito da iniciativa Escritor do Mês, o Camões – Centro Cultural Português em Maputo dedica o mês de março ao premiado escritor português Gonçalo M....