Inicio Agenda cultural FILME NKWAMA DE GIGLIOLA NO FESTIVAL CENA

FILME NKWAMA DE GIGLIOLA NO FESTIVAL CENA

Filme NKWAMA, de Gigliola Zacara fará parte da programação do CENA – Festival de Filmes Dirigidos por Mulheres, em Cabo Verde.

No âmbito do mês de Março – Mês das Mulheres, o CENA – Festival de Filmes Dirigidos por Mulheres – um festival que visa promover o cinema feito por mulheres, especialmente por realizadores de Cabo Verde e dos PALOP, terá a sua segunda edição.

O festival realizar-se-á em formato on line, na página do Facebook do CENA, nos dias 27 e 28 de Março. No entanto, em colaboração com a Universidade de Cabo Verde (UviCV), no Mindelo, nos dias 22-26 de Março, vão acontecer os “miniCENAs” – as mostras “tradicionais” durante as aulas com pequenas grupos de estudantes.

Este ano, o festival conta com a participação de realizadoras de Cabo Verde, Moçambique e São Tomé e Príncipe e vai ser o palco da conversa on line com a realizadora Claire Andrade Watkins. A realizadora vai lançar o seu novo filme nesta edição do CENA.

O Festival conta com o apoio da Universidade de Cabo Verde (UviCV), REDE de Cinema e Audiovisual PALOP-TL e Universidade de Cracóvia, Polónia.

O filme NKWAMA, da realizadora moçambicana Gigliola Zacara, é um dos filmes escolhidos para fazer parte desta segunda edição, o mesmo será exibido no dia 27 de Março, será o terceiro filme da primeira sessão de exibições que irão iniciar as 19H de Cabo Verde, 21H de Moçambique.

NKWAMA, retrata a história de Alice, uma mulher vista como uma heroína para a sua família, por encontrar sempre solução para as dificuldades do dia-a-dia. Vivendo numa comunidade pouco consciencializada em relação aos problemas do meio ambiente e mudanças climáticas, faz do plástico o seu meio de subsistência. Nkwama, que em português significa plástico, é considerado um dos piores inimigos do meio ambiente, pois, a poluição causada pelo descarte de objectos de plástico é um dos grandes desafios da actualidade, onde o cenário ideal seria uma vida com a produção de menos lixo e a utilização de produtos circulares, ou seja, aqueles que podem ser reutilizados e reciclados, sem virar lixo após o uso. Para Alice, assim como para milhares de moçambicanos que se deslocam todos os dias pelas ruas e lixeiras em busca deste bem precioso, o plástico significa apenas sustentabilidade. O filme é um claro apelo a sociedade para uma maior atenção as questões ligadas ao meio ambiente e mudanças climáticas, como também, através dele levar a reflexão sobre a importância da educação sustentável para as nossas comunidades através da produção de renda a partir dos resíduos plásticos.

Para a sua produção, o filme contou com o apoio de profissionais da área do audiovisual e do teatro, Centro de Recriação Artística, 7 Ofícios – Rede de Mulheres Artistas, ETC., António Sendo Lda, Maochas Produções, Olhar Artístico e Amocine.

GIGLIOLA ZACARA  E SEU PERCURSO NO CINEMA

Gigliola Zacara iniciou-se no cinema como atriz em 2005, estudou representação para teatro, cinema e televisão em Moçambique, Brasil e Angola, conta com participações em aproximadamente quinze (15) filmes, produções nacionais e internacionais. Seus destaques como actriz no cinema vão para os filmes “O jardim do outro homem”, de Sol de Carvalho, que lhe garantiu a nomeação para a categoria de Melhor actriz principal, no Festival Cineport 2007, no Brasil, “Traídos pela Traição”, de Mickey Fonseca e Pipas Forjaz, “Quero ser uma estrela”, de José Carlos de Oliveira, “Mosquito”, de João Pinto Nuno e o mais recente “Resgate”, de Mickey Fonseca e Pipas Forjaz.

Foi em 2007 que começou a fazer a sua transição para aprender como se trabalha atrás das câmeras, quando surgiram as primeiras oportunidades de se formar como produtora e realizadora, participando em oficinas de formação em cinema em Angola, onde participa na Formação em Técnicas de Produção, Formação em Produção de Documentários e Formação em Argumentos de Ficção e Documentários a quando da sua ida ao FIC LUANDA (Angola), em Moçambique fez a Formação em Técnicas de Interpretação e Captação de Imagem, Formação em Técnicas de Edição de Imagem e Formação e Estágio em representação para Cinema, Televisão e Teatro através Projecto Olhar Artístico, uma iniciativa da AMOCINE – Associação Moçambicana de Cineastas.

Em 2019 começa a fazer as suas primeiras produções fazendo spots promocionais, vídeos de teatro e dança, filmes documentários institucionais para finalmente em 2020 lançar o seu primeiro filme de ficção curta-metragem, intitulado NKWAMA, que lhe garantiu duas premiações para o 1° Lugar para o Prémio Público e 2° Lugar para o Melhor Curta Metragem, no 4° Concurso de Curta-metragem CCMA.

 

Subscreva-se e acompanhe todas notícias sobre cultura National

Coloque o seu e-mail abaixo para receber as últimas actualizações e promoções do nosso website.

Mais Lida

O Tempo dos Leopardos

O Tempo dos Leopardos A independência nacional fez nascer uma rica história do cinema moçambicano. Um cinema que foi ao encontro do cidadão ate ao...

Mbuta, Dança Tradicional Misteriosa Desaparecida

Desde os tempos mais idos dos nossos ancestrais que a dança era praticada nas zonas rurais da província de Inhambane. Só mulheres, anciâs e...

Vozes da Representação, Memórias do Teatro Moçambicano, Volume I

Benites Lucas José gosta e ama a arte de representar. Mas notou ausência de formas de memórias sobre seus fazedores, sobretudo na forma literária....

Resgate, Um Filme Para Ver e Rever!

O filme emerge a partir de duas linhas narrativas. A primeira é a que segue as peripécias de um jovem caminhando por picadas e...

Related News

FILME NKWAMA DE GIGLIOLA NO FESTIVAL CENA

Filme NKWAMA, de Gigliola Zacara fará parte da programação do CENA - Festival de Filmes Dirigidos por Mulheres, em Cabo Verde. No âmbito do mês...

Mbuta, Dança Tradicional Misteriosa Desaparecida

Desde os tempos mais idos dos nossos ancestrais que a dança era praticada nas zonas rurais da província de Inhambane. Só mulheres, anciâs e...

Vozes da Representação, Memórias do Teatro Moçambicano, Volume I

Benites Lucas José gosta e ama a arte de representar. Mas notou ausência de formas de memórias sobre seus fazedores, sobretudo na forma literária....

Resgate, Um Filme Para Ver e Rever!

O filme emerge a partir de duas linhas narrativas. A primeira é a que segue as peripécias de um jovem caminhando por picadas e...

O Tempo dos Leopardos

O Tempo dos Leopardos A independência nacional fez nascer uma rica história do cinema moçambicano. Um cinema que foi ao encontro do cidadão ate ao...