Inicio Agenda cultural Centro Cultural Português em Maputo dedica o mês de novembro ao escritor Afonso...

Centro Cultural Português em Maputo dedica o mês de novembro ao escritor Afonso Cruz. 

No âmbito da iniciativa Escritor do Mês, o Camões – Centro Cultural Português em Maputo dedica o mês de novembro ao escritor Afonso Cruz.

Com o objetivo de aprofundar o conhecimento do trabalho do escritor português, terá lugar no próximo dia 8 de novembro, às 17h00, uma sessão denominada “Os livros que nos devoraram – Leituras de Os livros que devoraram o meu Pai e outras obras”, dinamizada por Mário Forjaz Secca, na Biblioteca do Camões – Centro Cultural Português.


Notas Biográficas:

Afonso Cruz nasceu em julho de 1971, na Figueira da Foz e haveria, anos mais tarde, de viajar por mais de 60 países. Frequentou a Escola António Arroio, a Faculdade de Belas-Artes de Lisboa e o Instituto Superior de Artes Plásticas da Madeira. Em 2008, publicou o seu primeiro romance, A Carne de Deus — Aventuras de Conrado Fortes e Lola Benites, ao qual se seguiria, em 2009, Enciclopédia da Estória Universal, galardoado com o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco. Em 2011, publicou Os Livros Que Devoraram o Meu Pai, Prémio Literário Maria Rosa Colaço, Finalista do Prémio Fundação Cuatro Gatos 2016, A Contradição Humana, Prémio Autores SPA/RTP, seleção White Ravens 2011, menção especial do Prémio Nacional de Ilustração, Lista de Honra do IBBY e Prémio LER/Booktailors na categoria Melhor Ilustração Original e O Pintor Debaixo do Lava-loiças, distinguido em 2016 com o Selo Cátedra 10, da UNESCO e com o prémio FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil do Brasil). Em 2012, foi o autor português distinguido com o Prémio da União Europeia para a Literatura pelo livro A Boneca de Kokoschka, e publicou também Jesus Cristo Bebia Cerveja, que foi distinguido com o Prémio Time Out — Livro do Ano e considerado o Melhor Livro do Ano segundo os leitores do jornal Público. Publicou, ainda, Enciclopédia da Estória Universal: Recolha de Alexandria, que foi galardoado com o prémio LER/Booktailors na categoria de Melhor Design de Capa — Literatura, 2013. Só em 2013, Afonso Cruz publicou Enciclopédia da Estória Universal: Arquivos de Dresner, O Livro do Ano, O Cultivo de Flores de Plástico e Para onde Vão os Guarda-chuvas (vencedor do Prémio Autores para Melhor Livro de Ficção Narrativa e finalista do Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores 2013 e do Prémio Literário Fernando Namora 2013). Assim, Mas Sem Ser Assim, livro infanto juvenil ilustrado, foi também publicado em 2013, pela Caminho. Afonso Cruz foi o vencedor do Prémio Nacional de Ilustração 2014 pela obra Capital (Pato Lógico, 2014), no mesmo ano em que publicou Enciclopédia da Estória Universal: Mar. Em 2015, publicou Flores, vencedor do Prémio Literário Fernando Namora 2016, A Cruzada das Crianças, Barafunda, Enciclopédia da Estória Universal: As Reencarnações de Pitágoras e Vamos Comprar um Poeta. Em 2016, publicou o seu mais recente romance Nem Todas as Baleias Voam, finalista do Prémio Livro do Ano dos Leitores Bertrand e do Oceanos — Prémio de Literatura em Língua Portuguesa, e Enciclopédia da Estória Universal: Mil Anos de Esquecimento. O seu mais recente livro é Jalan, Jalan: Uma Leitura do Mundo (2017), editado pela Companhia das Letras.

Mário Forjaz Secca nasceu em 1957 em Moçambique, onde viveu até aos 17 anos, tendo aí aprendido a sonhar e sido contaminado pela Poesia. Foi de seguida para Inglaterra estudar Física, apesar de passar grande parte desse tempo imerso a ler e a escrever poesia. Ficou depois fascinado pela viagem, passando 8 meses em 1986 a dar a volta ao mundo sozinho. No final do périplo foi viver para Portugal onde passou muitos anos a ensinar na Universidade e a fazer investigação em imagem médica, particularmente sobre o cérebro. Atualmente trabalha em Imagem Médica no HCM e é Professor de Física Médica e Engenharia Biomédica no ISTEM. Publicou em 2015 o livro de poesia “A Criação da Memória”, com a chancela da Chiado Books.

Subscreva-se e acompanhe todas notícias sobre cultura National

Coloque o seu e-mail abaixo para receber as últimas actualizações e promoções do nosso website.

Mais Lida

FILME NKWAMA DE GIGLIOLA NO FESTIVAL CENA

Filme NKWAMA, de Gigliola Zacara fará parte da programação do CENA - Festival de Filmes Dirigidos por Mulheres, em Cabo Verde. No âmbito do mês...

Mbuta, Dança Tradicional Misteriosa Desaparecida

Desde os tempos mais idos dos nossos ancestrais que a dança era praticada nas zonas rurais da província de Inhambane. Só mulheres, anciâs e...

Vozes da Representação, Memórias do Teatro Moçambicano, Volume I

Benites Lucas José gosta e ama a arte de representar. Mas notou ausência de formas de memórias sobre seus fazedores, sobretudo na forma literária....

Resgate, Um Filme Para Ver e Rever!

O filme emerge a partir de duas linhas narrativas. A primeira é a que segue as peripécias de um jovem caminhando por picadas e...

Related News

FILME NKWAMA DE GIGLIOLA NO FESTIVAL CENA

Filme NKWAMA, de Gigliola Zacara fará parte da programação do CENA - Festival de Filmes Dirigidos por Mulheres, em Cabo Verde. No âmbito do mês...

Mbuta, Dança Tradicional Misteriosa Desaparecida

Desde os tempos mais idos dos nossos ancestrais que a dança era praticada nas zonas rurais da província de Inhambane. Só mulheres, anciâs e...

Vozes da Representação, Memórias do Teatro Moçambicano, Volume I

Benites Lucas José gosta e ama a arte de representar. Mas notou ausência de formas de memórias sobre seus fazedores, sobretudo na forma literária....

Resgate, Um Filme Para Ver e Rever!

O filme emerge a partir de duas linhas narrativas. A primeira é a que segue as peripécias de um jovem caminhando por picadas e...

O Tempo dos Leopardos

O Tempo dos Leopardos A independência nacional fez nascer uma rica história do cinema moçambicano. Um cinema que foi ao encontro do cidadão ate ao...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here