Angelson, depois de tanto disputar por oportunidades, apresenta-se à praça musical moçambicana com “Factos de Amor”

Angelson é o nome artístico de Esménio Paulino Duarte, nascido aos 05 de Agosto de 1987 na cidade nortenha de Nampula.

Desde cedo seus ouvidos andaram colados a rádios e reprodutores de música. A final sempre sentiu paixão em ouvir notas. Cantores como Ali angel, Nicolas e Ludo; estilos zouk e R&B faziam as delicias dos seus ouvidos e coração. E porque a paixão por notas musicais era enorme começou então a fabricar também suas próprias notas, mas isso foi depois de muitas peripécias da vida, que abaixo narramos algumas delas.

Mal tinha completado 20 anos de idade, Angelson teve que lidar com a dor da perda do seu pai em Alto Mulócùe. Teve então de ser o homem de casa. Ao lado de sua mãe foi à machamba como ocupação quotidiana para ajudá-la a manter o sustento dos irmãos mais novos. Este facto, fez com que ele perdesse a oportunidade de terminar a sua adolescência de forma feliz ou pelo menos normal.

Entre a machamba e a escola, Angelson trilhava um caminho cheio de desafios e batalhas. Na 11ª classe que a frequentava em 2010, teve que abandonar a escola porque não tinha tempo suficiente para dividi-lo entre a machamba e a Escola. Um ano depois regressa, mas as dificuldades eram as mesmas! A situação complica-se mais ainda quando em 2014 fica extremamente doente e análises hospitalares não conseguiam identificar a doença. Somente no ano seguinte, 2015, conseguiu terminar os estudos do nível médio.

Mas afinal Angelson entrara para o mundo da música em 2008. Cantava e produzia a suas próprias músicas, num estúdio que lhe era emprestado pelo seu vizinho para efectuar os seus trabalhos e assim poder ganhar algum dinheiro para o seu sustento. Muitos eram os jovens que iam para lá gravar. Em 2011 Angelson começa a tocar o seu primeiro instrumento musical, uma Guitarra, no mesmo ano forma uma banda musical, banda Oravo, desempenhando o papel de guitarrista, vocalista e mais tarde baixista. Passados dois anos, ou seja em 2013, Angelson ruma para a sua cidade natal, Nampula, a procura de oportunidades e por pessoas que estivessem dispostas a apostar no seu trabalho.

A sua aventura surtiu algum efeito porque o artista foi convidado para fazer parte da banda Marove. Depois de algum tempo, Angelson conhece um professor de nome Domingos que o apresentou a muitos músicos e o convidou a fazer parte de uma banda com mais expressão, Watana, que segundo os nativos é considerada a melhor banda da cidade de Nampula. Como que o mal não querendo abandonar-lhe, duas semanas depois de ter iniciado os ensaios na banda Watana cai novamente doente, e desta feita regressa para sua casa em Alto Molócùe.

Em 2017 Angelson tenta mais uma vez lutar pelo que mais gosta. Já recuperado ruma ao sul de Moçambique, mas desta feita para a cidade de Xai-Xai. Hospedado em casa de um amigo e trabalhando num estúdio, ele procurava dia e noite por oportunidades que o lançassem no Mercado da música moçambicana. Desligado praticamente da sua família, somente contava com ajuda de amigos. Um ano depois, concretamente em 2018 o artista ruma a capital do país, Maputo, em busca de mais uma tentativa de singrar na música. Em Maputo, reencontra-se com um amigo de longa data, Thayo Álvaro. Este, apresentou-lhe a uma equipe com a qual qual trabalhava. A partir dai, Thayo Álvaro propôs que entrassem no estúdio e gravassem um trabalho em dupla, ao que a proposta não foi recusada pelo Angelson. Assim surgiu a dupla Thayo Álvaro e Angelson, que se encontra neste momento a gravar as músicas e os vídeos do seu primeiro trabalho discográfico, agenciados pela MIL STUDIO.

Angelson

JOIN THE DISCUSSION