Ver o filme The Perfect Guy, de David Rosenthal

The Perfect Guy, produzido em 2015, é um filme com cenas amenas, mas dinamizado pela forte densidade psicológica das personagens e pela montagem através de mudanças rápidas de planos. Os quadros do filme apresentam uma atmosfera composta de luz suave, cores frias, mas com o vermelho de diversas tonalidades intrometendo-se e se destacando.
O realizador, David Rosenthal, propõe-nos em termos de género um drama romântico. As principais incidências do filme são vividas pelas personagens Leah Vaugt e Carter Ducan, dois actores negros, Sanaa Lathan e Michael Ealy. Leah, interpretado por Sanaa, com 36 anos de idade começa uma nova relação com Ducan a procura de um filho que não conseguiu nas anteriores relações, mas ela não sabe que o seu novo namorado é um psicopata.
Para a compreensão do essencial do conflito entre estas duas personagens podemos recorrer a duas sequências. Na primeira, que começa no minuto 16:55″ e termina no minuto 18:55″, corporizado por 81 planos predominantemente médios e de conjunto, Leah apresenta o seu novo namorado às suas duas amigas, Alicia e Karen, recebendo a aprovação destas. Nos diálogos entre ambos ficamos a saber que Carter Ducan foi abandonado pelos pais ainda pequeno e que guarda uma profunda mágoa por isso. Na segunda sequência, minuto 27:11″ até 31:25″, com 101 planos predominantemente médios e de conjunto, o casal regressa de uma viagem onde Leah foi apresentar Carter Ducan a seus pais. No trajecto de regresso, nas bombas de combustível, um espaço onde se destaca o vermelho mais do que em qualquer outra cena do filme, Ducan espanca violentamente um empregado branco das bombas aparentemente por ciúmes. Esta sequência, temporalmente começa de dia e termina a noite, talvez porque o realizador quis sugerir o abismo para o qual estes dois amantes levam suas vidas. Aliás, o realizador procura ao longo do filme colocar nas acções de Carter Ducan elementos alegóricos que o espectador deve descobrir e reflectir sobre eles. Por exemplo, podemos nos perguntar porque Ducan espanca, com tanta violência, o funcionário branco das bombas? Estaria ele a descarregar sobre aquele branco alguma mágoa guardada? Vale apena ver o filme.

JOIN THE DISCUSSION